Atendimento: (11) 5539-4337 / 3586-0355

25 de novembro: Dia Nacional do Doador de Sangue

Doar sangue é um ato de solidariedade. Essa frase, já quase um dito popular, é a motivação de quem reserva seu tempo para buscar hemocentros e pontos de coleta para ajudar alguém que precisa dessa ajuda para sobreviver.

Os números mostram que os bancos de sangue no Brasil estão conseguindo manter a demanda nos últimos anos, mas isso não é motivo de comemoração. Com apenas 1,8% da população entre 16 e 69 anos na lista de doares (de acordo Organização Mundial da Saúde (OMS), o País segue abaixo da meta considerada ideal pela ONU (Organização das Nações Unidas), que é de 3% a 5% – proporções conquistadas em países desenvolvidos como Estados Unidos e Japão.

Do total de doadores, seis em cada 10 são voluntários, ou seja, doam sem se importar para quem vai seu sangue. Cuba e Nicarágua acumulam 100% de doares espontâneos. Países como Colômbia detém 84,38% e Costa Rica 65,74%. A outra fatia, 40,48%, é formada por doadores de reposição, que procuram os hemocentros por razões pessoais como uma enfermidade entre seu ciclo de amizade e familiar.

Para agradecer quem reserva um pouco do seu tempo para este ato humanitário e conscientizar e esclarecer sobre os procedimentos, 25 de novembro é celebrado o Dia Nacional do Doador de Sangue. Visando também estimular a população para doações, a data foi estrategicamente escolhida para o fim do ano.

Dezembro, janeiro e fevereiro são os meses do verão e se celebra as principais festas do calendário (Natal, Réveillon e Carnaval). É um período conhecido pelo aumento de acidentes automobilísticos nas estradas e um vazio habitual nas filas de coletas.

Meses atrás citamos aqui o aplicativo “Heroes”, uma plataforma lançada em junho e fruto de uma parceria entre o Instituto Colabore, a Samsung e apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

O app conecta o doador aos pontos de coleta de sangue e hospitais que precisam de ajuda. Com ele, os usuários encontram todos os hemocentros do País, que hoje somam por volta de 400 unidades. No endereço www.heroesbrasil.com.br, o usuário encontra onde doar, orientações para o procedimento e um cadastro que facilita localizar pontos mais necessitados de sangue em sua região.

Manoel Neto, diretor executivo do Instituto Colabore e conselheiro curador da Fundação Pró-Sangue, é o responsável pela iniciativa. “A ideia surgiu quando um membro da minha família precisou passar por uma cirurgia em outra cidade e o médico disse que seriam necessários 50 doadores para que o procedimento fosse realizado. Após esse apuro, pensei o quão útil seria uma ferramenta capaz de engajar doadores de sangue e, com isso, salvar vidas”, contou Neto na época do lançamento do aplicativo.

Confira algumas dicas do Blog da Saúde para você que quer doar.

O que é necessário para fazer a doação

– Levar documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira do conselho profissional ou carteira nacional de habilitação);
– Estar bem de saúde;
– Ter entre 16 (dos 16 até 18 anos incompletos, apenas com consentimento formal dos responsáveis) e 69 anos, 11 meses e 29 dias;
– Pesar mais de 50 Kg;
– Não estar em jejum; evitar apenas alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação.

Recomendações para o dia da doação

– Nunca vá doar sangue em jejum
– Faça um repouso mínimo de 6 horas na noite anterior à doação
– Não tome bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores
– Evite fumar por pelo menos 2 horas antes da doação
– Evite alimentos gordurosos nas 3 horas antes da doação
– As pessoas que exercem profissões como: pilotar avião ou helicóptero, conduzir ônibus ou caminhões de grande porte, sobem em andaimes e praticam pára-quedismo ou mergulho, devem interromper estas atividades por 12 horas antes da doação

Intervalos para doação

– Homens: 60 dias (até 4 doações por ano)
– Mulheres: 90 dias (até 3 doações por ano)

Cuidados pós-doação

– Evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas
– Aumentar a ingestão de líquidos
– Não fumar por cerca de 2 horas
– Evitar bebidas alcoólicas por 12 horas
– Manter o curativo no local da punção por pelo menos de quatro horas
– Não dirigir veículos de grande porte, trabalhar em andaimes, praticar paraquedismo ou mergulho

Quem não pode doar?

– Quem teve diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade
– Mulheres grávidas ou que estejam amamentando
– Pessoas que estão expostas a doenças transmissíveis pelo sangue como AIDS, hepatite, sífilis e doença de chagas
– Usuários de drogas
– Aqueles que tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual, sem uso de preservativos

Cirurgias e prazos de impedimentos

– Extração dentária: 72 horas
– Apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: três meses
– Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem seqüelas graves, tireoidectomia, colectomia: 6 meses
– Ingestão de bebida alcoólica no dia da doação
– Transfusão de sangue: 1 ano
– Tatuagem: 1 ano
– Vacinação: o tempo de impedimento varia de acordo com o tipo de vacina

By : Consultor Moltrio /novembro 23, 2016 /Notícias, Saúde /0 Comment

Achou esta informação útil? Deixe um comentário abaixo, queremos saber a sua opinião.

Comments are closed.